07-06-2017

Teresópolis é a cidade mais pacífica do estado e a 10ª do país, diz ranking do Atlas da Violência

Por Aline Rickly - G1

Teresópolis, Petrópolis e Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, ocupam as primeira, segunda e terceira posições, respectivamente, no ranking das cidades mais pacíficas do Estado do Rio de Janeiro, segundo dados do Atlas da Violência, divulgado nesta segunda-feira (5) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). O estudo com as 30 cidades mais pacíficas do Brasil ainda coloca Teresópolis na 10ª posição do país, ficando apenas atrás de nove municípios dos estados de Santa Catarina, São Paulo e Minas Gerais.

 
Teresópolis ocupa a 10ª posição entre as 30 cidades mais pacíficas do país (Foto: Reprodução ¦ Atlas da Violência 2017)Teresópolis ocupa a 10ª posição entre as 30 cidades mais pacíficas do país (Foto: Reprodução ¦ Atlas da Violência 2017)

Ainda considerando o ranking nacional, Petrópolis e Nova Friburgo ocupam as posições 42ª e 58ª de um total de 304 cidades analisadas no país.

 

Segundo o Ipea, o estudo levou em conta os municípios com mais de 100 mil habitantes e os dados foram analisados com base no Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM) do Ministério da Saúde, referentes a 2015, além das informações dos registros policiais publicados no 10º Anuário Brasileiro de Segurança Pública.

No ranking, Teresópolis aparece com 11 homicídios e três mortes violentas por causa indeterminada (MCVI). Com isso, o município alcançou a média de 8,1, considerando a soma dos números de homicídios e MCVI, dividida pelo número de habitantes. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a cidade tem 173.060 habitantes. 

De acordo com o levantamento, em Petrópolis foram 28 homicídios registrados em 2015 e 12 mortes violentas por causa indeterminada. A cidade ficou com a média de 13,4, considerando os 298.142 habitantes, segundo dados do IBGE.

 

Enquanto em Nova Friburgo, o estudo contabilizou 20 homicídios e oito mortes violentas por causa indeterminada. Embora os números sejam menores do que os registrados em Petrópolis, Nova Friburgo ficou com a média 15,2, considerando os 184.786 habitantes, conforme levantamento do IBGE.

 

 

24-05-2017

Maior tela de cinema ao ar livre do mundo

chega ao Rio !!!Por Rafael Sento Sé

Telão de 325 metros quadrados exibirá vinte filmes entre 7 e 25 de junho,

no festival Shell Open Air, na Marina da Glória

 

Do tamanho de uma quadra de tênis, a maior tela de cinema ao ar livre do mundo — 325 metros quadrados — desembarcou na cidade, vinda da Suíça. A estrutura, que inclui cabine de projeção e 28 caixas de som Dolby Digital Surround, pesa 70 toneladas e foi transportada em quatro contêineres. O telão exibirá vinte filmes entre 7 e 25 de junho, no festival Shell Open Air, na Marina da Glória. Estão previstos sucessos recentes, como La La Land (2016), e também o clássico Alien, o Oitavo Passageiro (1978). Completa o programa a paisagem do entorno: que outro cinema do mundo é enfeitado com marcos como o Outeiro da Glória e o Cristo Redentor?

24-05-2017

Em processo de revitalização, Cassino da Urca renasce aos poucos

Por Roberto Moreyra - O GLOGO/Agência - 23/05/17

Segunda etapa de obras, orçadas em R$ 27 milhões, vai começar em outubro para abrigar centro de estudos e novo teatro

RIO - As luzes da ribalta do palco onde brilharam estrelas como Carmen Miranda e Dalva de Oliveira logo serão reacesas. O Istituto Europeo di Design (IED) Rio anuncia que, em outubro, dará início às obras de revitalização do prédio que abrigava o Cassino da Urca: o imóvel, localizado no número 13 da Avenida João Luís Alves, será ocupado pelo Centro Latino-Americano de Inovação em Design, que terá um teatro. A estimativa é que a empreitada dure um ano e meio, mas, à medida que as etapas do projeto ficarem prontas, serão inauguradas.

— O teatro deve ficar pronto de seis a oito meses após o início das obras e será logo aberto ao público, para a realização de peças, shows, exposições e desfiles. Em paralelo, seguiremos com a obra do laboratório de inovação, que dará aos makers (arquitetos, designers e profissionais da área criativa em geral) a possibilidade de produzir tecidos, protótipos, maquetes. A previsão de conclusão é 2019 — afirma Fabio Palma, diretor do IED, que abriga cursos de graduação e pós-graduação em campos da economia criativa, como design estratégico, moda, comunicação visual e urbanismo sustentável.

 

A etapa “zero” do projeto começou em junho do ano passado, quando o IED deu início à limpeza do prédio do teatro, tomado por lixo e entulho. Seis semanas e cinco caçambas grandes de caminhão de resíduos retiradas depois, o espaço, um esqueleto de tijolos aparentes, que conserva o desenho original do casarão, estava apto a receber visitas: já abrigou duas peças de teatro e vai hospedar, a partir deste sábado, a exposição “Ambientes Infláveis”, dos artistas Hugo Richard e Natali Tubenchlak.

 

— E, em outubro, antes do início das obras, teremos uma ópera lírica multimídia da Jocy de Oliveira aberta ao público — adianta Fabio.

Segundo o diretor do IED, o novo empreendimento “será o primeiro prédio sustentável tombado do Brasil” (pelo Instituto Rio Patrimônio da Humanidade): terá painéis solares, geradores eólicos, aproveitamento geotérmico — para diminuir a necessidade do uso de ar-condicionado —, além de reutilização total da água da chuva. A obra custará R$ 27 milhões.

— Fomos autorizados pelo Ministério da Cultura a captar até R$ 21 milhões pela Lei Rouanet. Apresentamos o projeto ao BNDES, e ele foi formalmente acolhido. Em julho, deveremos ter uma resposta — afirma Fabio.

Em 2006, a prefeitura cedeu ao IED por 25 anos, renováveis por mais 25, o prédio do antigo Cassino da Urca, que já abrigou o Hotel Balneário e a TV Tupi. Em 2014, após R$ 14 milhões serem investidos em revitalização, a parte do imóvel voltada para a praia foi inaugurada, com salas de aula (hoje são cerca de 600 alunos), laboratórios criativos, espaço para exposições e uma cafeteria.

— A contrapartida do IED era a reforma integral do prédio, conservação e manutenção, para transformá-lo num espaço privado e, ao mesmo tempo, público. Temos um programa de concessão de bolsas e oferecemos atividades gratuitas — observa o diretor.

Mas ainda há uma grande polêmica entre o IED e os moradores da Urca, preocupados com o impacto da atração no bairro.

— Fiz um projeto para desestimular o uso de carros e consegui que a prefeitura e o Itaú instalassem uma estação do Bike Rio. Para os 15% dos usuários do IED que vêm de carro, há convênio com o estacionamento da Igreja Santa Teresinha e van para traslado — assegura Fabio.

A Associação de Moradores da Urca (Amour) resiste.

— Na Urca não cabe teatro, as ruas são muito estreitas, o trânsito engarrafa facilmente. É um bairro que não aguenta esse impacto — afirma Cida Ferreira, presidente da Amour, que entrou com uma ação contra a cessão de uso do terreno.





 

22-05-2017

 

Ilha de Paquetá

 Programa prá românticos, sem precisar estar apaixonado.

 

Coluna de Turismo da Revista Real Noivas por Marcos Neves

 

Há quem goste de viver intensamente um grande amor. Nada melhor do que ter uma Ilha como cenário de uma linda história: Paquetá: tão perto de todos que moram ou vem visitar a Cidade do Rio de Janeiro. Tranquilidade, romantismo e com alguns “cantinhos” bem pitorescos. Visitada por muitos e considerada por todos como a Ilha dos namorados. Por conta disso, foi denominada por D. João VI como a "A Ilha dos Amores". Muitas personalidades moraram e viveram intensamente na Ilha: entre Elas, o Patriarca da Independência José Bonifácio. Sua casa continua de frente à praia que leva seu nome em sua homenagem.

 

Suas belezas naturais e suas águas calmas são os destaques deste lugar bucólico e onde temos a impressão que a Vida parou...

Algumas características a tornam ímpar como atração turística: não é permitido o uso de automóvel, exceto por ambulâncias ou algum outro serviço de necessidade pública.

A Ilha é considerada pequena, com um contorno de mais ou menos 7 quilômetros e meio. Os residentes e os Turistas se locomovem à pé, de bicicleta ou de charrete. Há muito que a Ilha de Paquetá é associada ao Romance "A Moreninha" por ter sido o cenário da estória do livro.

Praia da Moreninha

 

 

 

 

 

 

A Partir de um Mapa Turístico oficial da PAQUETUR somos informados dos principais pontos de visita e sugestão de roteiros. Existe um quiosque de Informações Turísticas mais atualizadas, eficientes e com vendas de souvenires bem na praça que fica próximo ao Cais de chegada e saída das barcas que levam à Ilha.

 

Guia Turístico RN

Por se tratar de um passeio bem econômico, a procura para se visitar a “Ilha dos Amores” nos finais de semana é muito grande. Alguns restaurantes e hotéis somente trabalham com reservas. Como prá se chegar à Ilha é feita tão somente através das Barcas, existem horários especiais que devem ser consultados com uma previsão de dois dias. Os primeiros horários são os mais procurados, pois todos os visitantes querem aproveitar ao máximo este passeio que é considerado pela TURISRIO (Empresa de Turismo do Estado do Rio de Janeiro) como um dos “mais populares”. Lembre-se de, ao chegar à Ilha, perguntar sobre os horários de retorno das barcas e, a melhor dica fica sendo a compra de imediato do(s) bilhete(s) de retorno para evitar grandes filas.

 

 

Hospedagem na ILHA

Com uma hotelaria bem longe da sofisticação, pousadas bem simpáticas permitem aos seus hóspedes uma localização privilegiadas dos principais pontos turísticos além de uma convivência que equaliza sempre o sossego e o verde.

É possível visitar a Ilha em um full day. Algumas Agências e/ou Operadoras de Turismo tem vendas de pacotes turísticos para grupos ou um single tour. Alguns turistas tem como a ida e a vinda de Barco como uma das maiores atrações deste roteiro por conta do passeio na Baía de Guanabara.

 

O (mais) Romântico vem agora...

Onde você pode “turistar” a pé, ou mesmo de bicicleta e, se desejar, passear de charrete? No Rio? Somente em Paquetá...

Pratos com Frutos do Mar, comida com gosto caseiro e porções generosas com preços mais deliciosos ainda podem ser encontrados em vários restaurantes.

 

História do tamanho da Ilha...

Quando se chega de Barca a Paquetá, desembarcamos no típico Cais de estilo tropical localizado em frente à Praça que recebe o nome de um morador ilustre: o Pintor Pedro Bruno. Ele mesmo projetou toda a Praça e nada mais justa esta homenagem para quem, ainda, contribuiu em muito com a Cultura da Ilha.

As charretes (não mais conduzidas por Cavalos em obediência à Lei 7.194/16 que proíbe o uso de animais de tração para transportes) podem ser alugadas com condutor que transporta os visitantes através dos principais atrativos turísticos da Ilha de Paquetá.

Outra “gostosa e saudável” opção é alugar uma bicicleta ou um quadricíclo e fazer um passeio por onde a emoção nos guiar.

 

 

Saindo da Estação das Barcas e seguindo à direita, os visitantes ficam encantados com uma tradicional construção de ripas, formando um grande caramanchão com uma vista privilegiada para o mar localizado na Praça Bom Jesus do Monte. Em seguida, nesta mesma direção, surge a Praia dos Tamoios urbanizada por um parque ajardinado projetado, também, por Pedro Bruno.

 

Como ir a Paquetá.

O Ponto de Partida para seguir viagem à Ilha dos Amores é a não menos histórica Praça XV. Nela, procurar o único Cais específico para quem desejar embarcar rumo à Ilha. O passeio de Barca até Paquetá tem duração média de 1 hora e 10 minutos. Informações mais detalhadas sobre este passeio podem ser encontradas em www.ilhadepaqueta.com.br/casadeartes

 

De resto, é voltar prá casa com a alma lavada. Todos os visitantes percebem como é possível transformar um bairro em um lugar pitoresco e tranquilo e, ainda, chamá-lo de Ilha. Por esses motivos é que todos, carinhosamente, conseguem elevá-la a status de Ilha dos Amores, mesmo não estando apaixonado.

Vale a pena conferir.

 

 

 

 

 

 

                                                 

15-05-2017

Brasil é o 2º maior insatisfeito com serviço público.

 - Estatísticas
 
Bruna MurbackBruna Murback
Christian Schnettelker/Flickr


Uma pesquisaa desenvolvida pela Ipsos (empresa global na área de pesquisas) revelou que o Brasil é o segundo país mais insatisfeito com serviços públicos, perdendo apenas para o México.

O levantamento reúne oito tendências que visam a tensão das gerações, e a crise das elites e aponta rumos para a sociedade, política, e negócios. O estudo também mostrou que 76% das pessoas sentem que a economia de seus países é manipulada em benefício dos ricos e poderosos, e 82% dos entrevistados consideraram que o mundo está ficando cada vez mais perigoso.

Veja abaixo alguns dos resultados.

BRASIL
A insatisfação do brasileiro chegou a 70%, 1% a menos apenas que os mexicanos. Fora isso, cerca de 84% dos brasileiros querem ter mais autonomia em suas vidas e depender cada vez menos de qualquer autoridade externa, enquanto 85% acreditam que para alcançar as coisas na vida, é necessário assumir mais riscos do que nunca.

Dos ouvidos, 77% são favoráveis que gays e lésbicas devem ser livres para viverem suas próprias vidas como quiserem, frente a 74% no mundo que compartilham da mesma opinião.

Já para 43% da população brasileira, o papel das mulheres na sociedade é ser boa mãe e esposa, fazendo com que o País fique na quinta colocação neste quesito, atrás de Indonésia (76%), Rússia (69%) Índia (64%) e Turquia (47%).

 

Do Selesnafes

MUNDO
A pesquisa mostrou que 69% das pessoas sentem que precisam de guias e mentores, ao invés de políticos. Quando questionados sobre a globalização, 55% dos entrevistados acham que o fenômeno é bom para seu país. No entanto, a Europa Ocidental, incluindo a Grã Betanha, França e Espanha são os mais pessimistas com o assunto.

No quesito igualdade de gênero, 57% dos entrevistados opinaram que seria melhor se mais mulheres ocupassem cargos no governo e no país. As nações que mais concordam são: Índia (79%), Turquia (72%), África do Sul (70%) e Brasil (69%).

O levantamento foi realizado entre 12 de setembro e 11 de outubro de 2016, e ouviu mais de 18 mil adultos, de 16 a 64 anos em 23 países, sendo, Argentina, Austrália, Bélgica, Brasil, Canadá, China, França, Grã-Bretanha, Alemanha, Indonésia, Itália, México, Japão, Peru, Polônia, Rússia, África do Sul, Coreia do Sul, Espanha, Suécia, Turquia, Índia e Estados Unidos.

 

Arquivo